Todos nós sabemos que as moscas são pragas e que devem ser controladas. Além de transmitirem uma série de doenças e fazerem mal à nossa saúde.

Uma mosca sobrevoando a mesa com pratos prontos para serem servidos já faz com que seja ligado um alerta. A correria começa com pessoas abanando e tentando espantar o inseto indesejado. Mas baste um pequeno deslize para ver que ela já está pousando de refratário em refratário. Deixando seus ovos por onde passa e possibilitando a proliferação de doenças.

Alimentos de fato podem ficar contaminados graças à breve visita de uma mosca, tudo por conta dos hábitos pouco higiênicos desses insetos.

Elas se alimentam de todo tipo de detrito. Restos como fezes, animais mortos e matéria orgânica em decomposição estão recheados de micróbios, que ficam grudados em suas asas e patas e podem se desprender na próxima aterrissagem.

E o mais grave, a próxima parada pode ser a sua mesa ou o local do estabelecimento.

Um estudo recente, publicado no jornal Scientific Reports, cravou que uma mosca doméstica, por exemplo, pode carregar até 351 bactérias diferentes. No caso da varejeira, também conhecida como mosca verde, são 316 tipos de microrganismos — alguns deles, inclusive, nocivos à saúde humana.

Ainda segundo o estudo, moscas urbanas costumam carregar mais bactérias do que as que as encontradas em zonas rurais. Isso sugere que o potencial nocivo desses insetos aumenta onde há maior concentração de pessoas. Para pesquisadores, o potencial desses insetos como transmissores de doenças tem sido subestimado.

As pragas urbanas mais visadas por ações de saúde pública acabam sendo os mosquitos, que, por sua vez, costumam carregar um número de microrganismos bem menor. As moscas servem como meios de transporte de bactérias e, neste processo, são mais genéricas em relação à quantidade e diversidade de microrganismos que carregam”.

Por isso, o controle dessa praga é uma questão de saúde e higiene local.
Conheça nossas armadilhas luminosas contra moscas.

Leia a matéria na íntegra em: Saúde Abril 

Compartilhar: